VIAGENS

Confira seis dicas de como escolher a mala ideal
Designer de produtos da Sestini lista os principais atributos na hora de se preocupar com a bagagem.


Atualmente a empresa é reconhecida por unir qualidade, inovação, estilo e preços acessíveis/Foto: Divulgação

A primeira viagem ensina muito sobre como preparar as malas, o que é imprescindível e o que realmente deve ser deixado para trás. E com o período das férias de fim de ano chegando, muitas vezes escolher a mala ideal pode ser uma tarefa desafiadora quando o assunto é o tipo de bagagem. E para ajudar os viajantes de primeira e de inúmeras viagens, Gisela Bizetto, designer de produtos da Sestini, uma das principais empresas no segmento de malas, mochilas e acessórios do país, listou seis dicas para não deixar nenhuma dúvida no ar. Confira:

Conforto e segurança
Esses são atributos indispensáveis na hora de escolher uma mala. Opções com rodinhas 360º graus, por exemplo, garantem facilidade na locomoção. Para maior segurança, escolher malas com um cadeado TSA é fundamental, pois caso a bagagem necessite ser inspecionada ela não será danificada.

Organização
Para que cada coisa permaneça em seu lugar, bolsos e divisórias são grandes aliados na hora de viajar. Outra dica é optar por mala expansiva, ela garante aquele espaço extra caso seja necessário. Além das malas de viagem, as mochilas com compartimentos para aparelhos eletrônicos são uma vantagem para o caso de viagens profissionais, pois auxiliam no transporte e proteção dos equipamentos de trabalho.

Tamanho
A melhor escolha envolve saber quanto tempo irá durar o passeio e quais as regras de transporte, sobretudo se for realizada de avião. Se for uma viagem de final de semana, por exemplo, normalmente pode optar por uma mala de bordo, em que cabe tudo o que é necessário. Se for ficar hospedado por uma semana, o ideal é levar uma mala média (tamanho M). Evite levar uma mala muito grande e vazia, nestes casos, além de ocupar muito espaço, as roupas tendem a chegar amassadas devido ao constante movimento durante o trajeto.

Mala soft ou rígida?
Os dois modelos são ótimas opções, mas a escolha vai depender muito da preferência do usuário. A mala soft tem abertura frontal e flexibilidade, o que garante que aquela peça extra seja colocada dentro da mala com facilidade. Além disso, costumam ser super leves e, geralmente, acompanham diversos bolsos, ideais para colocar aquele livro ou casaco que está na mão logo antes de embarcar. A mala rígida permite maior organização dos pertences, além de protegê-los. É de mais fácil visualização dos objetos devido à sua abertura e garante que as peças não amassem com tanta facilidade. São pouco maleáveis, porém são super fáceis de limpar. 

Identificação
Parece ser algo óbvio, mas muitos acabam esquecendo de deixar a mala devidamente identificada, sobretudo se for de cores mais sóbrias e padrão, facilmente confundida com outras. A identificação evita que a mala seja extraviada caso alguém a pegue por engano na esteira. Se não gostar de malas com cores mais chamativas para se diferenciar, etiqueta de identificação são acessórios indispensáveis.

Garantia
Por fim, vale se certificar dessa segurança no momento de adquirir um produto, pois caso tenha algum problema de fabricação, o consumidor não será prejudicado. Isso pode incluir falhas na cor ou estampa, perda de componentes, desalinhamento da estrutura, falhas na costura e problemas no tecido.

Referência no segmento de bolsas, malas e acessórios, a Sestini atua no mercado há mais de 25 anos, lançando anualmente cerca de dois mil produtos.

Mais informações: Click aqui




COMENTÁRIOS







VEJA TAMBÉM






VIAGENS  |   29/05/2020 11h36